Arquivo do mês: julho 2017

Selva do cotidiano

  Há duas formas de comer Uma delas é vendo na internet   Purê de maçã Peru recheado com farofa Rabanada com sorvete de tapioca Galinha caipira com banana da terra   Acorda com uma mordida nas costas Foi lacraia? … Continuar lendo

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Ciúme no prato

+ poemas Quando fores mais uma vez ao nosso buffet Não precisa me esperar   Tô cozinhando feijão Perdi a razão Você sabe por que   Antes eu comia um dia a costela No outro ensopado e no outro pastel … Continuar lendo

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Lobortografia (Tiahuanaco)

  Um rosto pálido e angelical passa em uma cadeira de rodas Metade de uma coroa pontilhada de orelha a orelha pela nuca Um xis do lado do outro por trás de novos cabelos loiros   A ortografia do doutor … Continuar lendo

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Sapato furado

Saio de casa para o trabalho para mais um dia de descobertas. Ao atravessar a rua é a água da chuva que encharca minha meia direita. Sapatos furados como mísseis teleguiados, programados para se autodestruírem. O segundo par esta semana … Continuar lendo

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Sobre os ratos e seu direito à toca

Os ratos movem-se por necessidade Há homens que movem-se por necessidade e consciência Ratos formam suas tocas sem pedir licença Homens constroem suas casas e reivindicam seu direito de morar Os ratos vivem em meio aos homens Há homens que … Continuar lendo

Publicado em Poemas | Deixe um comentário